Como escolher um curso de idiomas

31 de Mayo de 2018
Como escolher um curso de idiomas

Um em cada cinco executivos de alta liderança não domina o inglês, segundo pesquisa da Cambridge Assessment English. A deficiência é ainda maior nos demais níveis hierárquicos.

Já para o espanhol, a situação é mais crítica. Conforme estudo da consultoria PageGroup, apenas 9% dos executivos brasileiros têm fluência no segundo idioma mais falado do mundo.

E sabemos que o desconhecimento em línguas estrangeiras pode representar uma série de barreiras profissionais e oportunidades perdidas.

Para resolver esse problema, o caminho mais tradicional é apostar em um curso de idiomas. Mas, hoje, há diferentes tipos de metodologia para diversos objetivos e necessidades.

Sendo assim, você deve levar em conta alguns pontos antes de escolher o seu curso de idiomas. Confira!

Tempo

Um dos recursos mais preciosos da vida moderna é, sem dúvida, o tempo. Os profissionais são cada vez mais exigidos e, por isso, acabam trabalhando até tarde com uma jornada totalmente imprevisível.

Se esse é o seu caso, saiba que matricular-se em uma escola de idiomas com grade rígida é jogar dinheiro fora.

Procure um curso que tenha flexibilidade de horários, mas que, ao mesmo tempo, consiga propor uma disciplina de estudo, fundamental para quem quer aprender um novo idioma.

Também leve em consideração o período de deslocamento até a escola. Além de ser um tempo perdido, há todo o desgaste com trânsito, lugar para estacionar etc.

Uma boa alternativa são os cursos online por videoconferência. Você pode ter aulas no horário de almoço, enquanto espera um voo ou no conforto de sua casa. Além disso, no caso de uma viagem, você não precisa desmarcar a aula.

Objetivo

Ter claro qual é o seu objetivo com o idioma é muito importante na hora de escolher uma metodologia. Para quem pretende alavancar a carreira, por exemplo, o ideal é procurar um curso de inglês ou espanhol para negócios.

Há profissionais que precisam aprender rapidamente, para uma viagem ou reunião. Nesses casos, a melhor opção são as aulas particulares.

Hoje, elas apresentam um excelente custo-benefício, principalmente quando são online, já que há uma redução de gastos tanto para o aluno quanto para o professor.

O investimento acaba sendo bem menor do que em uma escola tradicional, com classes lotadas, em que o aluno terá que pagar mensalidades durante anos.

Para se ter uma ideia, com a metodologia adequada é possível aprender espanhol em 12 meses. Para uma reunião ou apresentação no idioma, o aluno consegue se preparar em apenas 3 meses.

Conhecimento

Também é muito importante escolher um curso que leve em conta o conhecimento que você já tem.

Alguns alunos chegam ao curso sem saber nada da língua e precisam começar do nível mais básico. Outros já têm uma noção, seja porque estudaram anteriormente ou até mesmo porque atuam em áreas em que têm contato com outro idioma. Isso é muito comum, por exemplo, com profissionais de TI, que lidam com expressões, softwares e literatura em inglês o tempo todo.

Mais uma vez, em turmas grandes é muito mais difícil considerar essas diferenças entre os alunos.

No caso do espanhol, vale ressaltar que os cursos tradicionais não são formatados para o aluno brasileiro, fazendo com que o aprendizado fique muito mais lento.

Um curso direcionado para quem já fala português pode focar nas diferenças, eliminando o “portunhol” e propiciando, assim, uma aprendizagem mais eficiente.

Enfim, o importante é que você se matricule em um curso de idiomas que adapte às suas necessidades. Quer conversar sobre isso? Tem alguma dúvida sobre nossos cursos de inglês ou espanhol? Então, entre em contato conosco!

 
 Compartir noticia